Ultimas Noticias
Home / Polícia / Chefe do tráfico conhecido como Mata Rindo é morto em confronto com policiais

Chefe do tráfico conhecido como Mata Rindo é morto em confronto com policiais

Mata Rindo comandava o tráfico de drogas de comunidades em Niterói – Arquivo Pessoal

Gabriel dos Santos Soares comandava a venda de drogas em três comunidades de Niterói

Rio – O traficante Gabriel dos Santos Soares, conhecido como Mata Rindo, de 22 anos, morreu em confronto com policiais civis, na noite desta segunda-feira. Ele era chefe do tráfico de drogas das comunidades Preventório, Lazareto e Peixe Galo, todas localizadas em Charitas, Niterói, na Região Metropolitana do estado.

De acordo com o delegado Marcos Peralta, titular da 79ª DP (Jurujuba), Mata Rindo foi baleado por volta das 20h durante um confronto com agentes da delegacia. Ele chegou a ser socorrido no Hospital Estadual Azevedo Lima e morreu no centro cirúrgico da unidade.

“Com base em informações reservadas do nosso setor de inteligência, nossos policiais abordaram o traficante e um comparsa. Eles estavam de moto e atiraram contra os agentes. Mata Rindo foi baleado e o outro criminoso conseguiu fugir”, conta o delegado.

Gabriel dos Santos Soares, o Mata Rindo – Divulgação / Polícia Civil

Mata Rindo, que era da facção Comando Vermelho (CV), era procurado por pelo menos três crimes, com mandados de prisão em aberto: tortura, corrupção de menores e furto qualificado, todos investigados pela 79ª DP. O Disque Denúncia oferecia uma recompensa de R$ 2 mil para quem desse informações que levassem à sua captura.

De acordo com as investigações, Mata Rindo é braço-direito do chefão do CV na região que atuava, Leonardo Caldas de Araujo, o Leo Traça, que está preso desde 2015. Leo Traça estaria comandando as vendas de drogas de dentro do presídio através de videoconferência e teria ordenado o espancamento de um morador, porque este o teria chamado de “corno”.

Traficantes liderados por Mata Rindo, agem intimidando, extorquindo e até expulsando moradores das localidades onde atuam. Até um policial militar foi expulso de sua casa com a família, somente com as roupas do corpo, na comunidade do Peixe Galo.

Além disso, empresas de Internet e vendas de gás tiveram seus serviços cortados. Tudo com aval de Mata Rindo.

Fonte: O Dia

Você pode Gostar de:

Governo do Rio institui programa de horas extras (RAS) para agentes do Degase Somente poderão ser incluídos no programa aqueles que estiverem em efetivo exercício no órgão de origem ou lotados na secretaria à qual se subordinam

O governo do estado instituiu o Regime Adicional de Serviços (RAS) para os agentes de segurança …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *