Nesta segunda-feira (1º), termina o prazo para a conclusão do inquérito que investiga a aciusação de estupro da modelo Najila Trindade contra o atacante Neymar.  A delegada Juliana Lopes Bussacos, responsável pela investigação, da 6ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), com base na investigação, pode solicitar um tempo maior de apuração ou encerrar o inquérito.Caso o inquérito seja encerrado, será encaminhado para o Ministério Público de São Paulo, que pode denunciar (acusação formal contra Neymar), pedir o arquivamento ou solicitar novas diligências. A promotoria tem 15 dias para decidir. Caso não haja a denúncia, Najila poderá pedir a reabertura, se apresentar provas.

No video gravado pelo seu celular, Najila agride Neymar que se defende com as pernas

As imagens que comprovariam as agressões relatadas por Najila, que teriam ocorrido no último dia 13 de maio, em Paris, não apareceram até o momento. A modelo divulgou, na noite do dia 5 de junho, um vídeo de cerca de 1 minuto em que não fica comprovada a agressão de Neymar.

As cenas mostram a moça agredindo o jogador em um quarto do hotel Sofitel Arc De Triomphe, supostamente inconformada com a postura do mesmo em relação a ela. Ela ressaltou, porém, que possuía um vídeo mais completo, com 7 minutos, que comprovaria as acusações.

Inicialmente, Najila afirmou que as imagens estariam em seu tablet, que teria sido roubado em suposto arrombamento de seu apartamento em São Paulo, não comprovado pela polícia.

Após a Justiça determinar, no dia 17 de junho, que ela apresentasse o seu celular, onde também estariam as imagens, ela afirmou que havia perdido o aparelho. O novo advogado de Najila, Cosme Araújo, argumentou que o aparelho sumiu após o primeiro depoimento da modelo.

Segundo a promotora do Ministério Público, Flavia Merlin, Najila comprou outro celular, da mesma marca, para tentar acessar a memória na nuvem. O aparelho foi entregue à polícia.Eram esperadas também, para serem incluídas no inquérito, as imagens das câmeras de segurança do hotel em que o casal se encontrou em Paris.

Após pedido de Araújo, o quarto representante da modelo nesta acusação, a polícia negou a acareação entre Neymar e Najila. Neymar depôs no último dia 13 e Najila já deu dois depoimentos, um no dia 7 e outro no dia 18 de junho.

MP-SP também considera possibilidade de pedir exame psicológico de Najila Trindade.

Já o Ministério Público, assim que receber a investigação, pode pedir um exame psicológico de Najila, o que seria considerado um procedimento comum nestas situações. “Vamos avaliar quando o inquérito chegar para nós se haverá necessidade deste tipo de diligência ou não”, afirmou Flávia Merlin.

Nesta última sexta-feira (28), a advogada Yasmin Abdalla, amiga de Najila, prestou depoimento a respeito da suposta perda das imagens que comprovariam as agressões relatadas pela modelo.

Segundo a promotora do Ministério Público, Flavia Merlin, Najila comprou outro celular, da mesma marca, para tentar acessar a memória na nuvem. O aparelho foi entregue à polícia.Eram esperadas também, para serem incluídas no inquérito, as imagens das câmeras de segurança do hotel em que o casal se encontrou em Paris.

Após pedido de Araújo, o quarto representante da modelo nesta acusação, a polícia negou a acareação entre Neymar e Najila. Neymar depôs no último dia 13 e Najila já deu dois depoimentos, um no dia 7 e outro no dia 18 de junho.

Já o Ministério Público, assim que receber a investigação, pode pedir um exame psicológico de Najila, o que seria considerado um procedimento comum nestas situações.

Fonte: R7